GEPETO

“Gepeto” é uma homenagem que a companhia faz aos criadores, artistas, inventores, educadores e todos aqueles que trabalham e colocam seus talentos para a reinventar o mundo.

Inspirado na personagem de Carlo Collodi neste espetáculo a companhia conta a história de Gepeto antes de criar o boneco Pinóquio.

Criativo e extravagante, Gepeto é o arquétipo do criador. Movido por uma necessidade compulsiva de inventar o mundo ao seu redor.

Gepeto é um homem solitário que passa o dia em sua oficina criando. De suas mãos nascem as mais maravilhosas engenhocas, criaturas quase vivas que ele constrói para aplacar a sua solidão.

Todas as noites Gepeto sonha com a sua musa inspiradora, que aparece pra ele em sonhos como uma fada.

Cantando e tocando sua harpa, a Fada leva Gepeto para um mundo de sonho e imaginação.

É de lá que Gepeto traz suas novas idéias.

A oficina de Gepeto está abarrotada de quinquilharias, tranqueiras, sucatas e afins… que ele transforma como mágica em bailarinas, funambulistas, centauros, unicórnios, príncipes e princesas e dragões, duendes, gigantes e até mesmo, que incrível, um menino de madeira.

Em cena Cris Miguel e Sergio Serrano se alternam entre a narrativa cantada como apresentadores de cabaré, tocando harpa, concertina, acordeon, violino, percussões e a manipulação dos bonecos que encenam a história.

A trilha sonora executada ao vivo busca suas referências na música cigana dos Bálcãs e na música de Cabaré de Kurt Weil, adaptando a sonoridade e a prosódia da língua portuguesa à narrativa da história.

O cenário é composto de uma bancada para manipulação dos bonecos e tela de sombras montadas numa estrutura que representa a Traquitaneria do Gepeto.Com inspiração Steampunk, com engrenagens , máquinas de relógio, etc… situa a história num cenário pós industrial, realçando a atemporalidade da personagem.

Duração de 50 minutos, faixa etária a partir de 4 anos.

Ficha técnica

Concepção, texto e interpretação: Cris Miguel e Sergio Serrano

Direção musical: Cris Miguel

Figurino: Cris Miguel e Carla Ribeiro

Direção de arte: Sergio Serrano

Iluminação: Mirella Brandi

Fotos: Sergio Marreiro

assista trechos do espetáculo: